Contabilidade

Crédito para MEI: entenda como funciona

Crédito para MEI

Que empresas possuem acesso a um incentivo financeiro por parte de bancos é do conhecimento de todos, mas e os MEI? Os microempresários individuais são pessoas jurídicas e, portanto, possuem acesso a todos os benefícios dessa nomenclatura. Saiba como funcionam os processos para se conseguir o crédito para MEI e como eles se diferenciam dos outros tipos de empresários.

O processo do MEI

Hoje em dia é possível se tornar um MEI de maneira totalmente online e rápida. Você só precisa se registrar no Portal do Empreendedor e, pronto. Embora seja preciso pagar um valor mensal para ter acesso aos benefícios do CNPJ, como a emissão de NFS-e, o ato de se registrar é gratuito.

Não confunda com a criação de uma microempresa que consiste em uma pessoa jurídica que tem até 10 funcionário e ganha 360 mil reais em 1 ano. O MEI só pode ter 1 funcionário e receber no máximo 81 mil reais por ano, além disso ele funciona como um processo mais informal e focado em pessoas autônomas.

Apesar de MEIs serem pessoas jurídicas, não são necessariamente donos de empresas e sim uma nomenclatura para autônomos que geralmente trabalham como freelancers. Mas não se preocupe em relação aos benefícios, porque eles também possuem alguns.

O crédito para MEI é igual aos de outras empresas?

Parcialmente não, pois o MEI, como pessoa jurídica, possui acesso a todos os benefícios que um CNPJ pode proporcionar. Porém, alguns benefícios são exclusivos para donos de empresas, dos quais os MEI não possuem acesso.

Por exemplo, os créditos para empresas de agricultura e rurais, assim como para produtos tecnológicas não estão disponíveis para o microempresário individual. Mesmo que eles trabalhem nessas áreas não teriam acesso aos programas específicos. Recentemente a FINEP mudou isso e permite o financiamento de MEIs que produzem serviços ou produtos relacionados à tecnologia, mas é mais difícil. Em relação aos serviços rurais e na área agro ainda não existe nenhuma atualização.

Mas nem tudo só restrição, como no caso do BNDES, que possui programas junto com diversos bancos e provê crédito para MEI e quaisquer outras pessoas jurídicas. Como o salário máximo anual de um MEI é 81 mil reais, o financiamento não vai muito além desse valor, pois seria um investimento arriscado.

O BNDES possui programas para empresas em que pode emprestar até mesmo milhões, dependendo do porte. Claro que o MEI tem um limite bem menor, por ser micro. Empresas de grande porte podem pegar até 90 milhões emprestados. Para ser mais próximo dos microempresários, as empresas de pequeno porte podem ter um empréstimo de até 2 milhões.

Crédito para MEI

Existe algum crédito para MEI exclusivo?

Na verdade não, ao menos não oficialmente, mas nada impede que cada instituição crie para si um padrão de empréstimo para os MEI. Isso já está em ação, na verdade. Por exemplo, baseado na sua renda e na possibilidade de lucro, cada banco te daria um determinado empréstimo.

Se você busca algum programa exclusivo para MEI, ainda não existe, mas ao visitar alguma instituição você pode receber um atendimento personalizado, de acordo com suas condições financeiras e seu nicho empresarial. É possível, inclusive, negociar programas já existentes para pagar taxas menores.

Nada impede que futuramente existem programas de financiamento para MEIs, porém os atuais já suprem o suficiente.

O crédito para MEI é somente em dinheiro?

De maneira alguma, porque eles também possuem acesso à qualquer crédito de pessoa jurídica. Portanto, se o MEI quiser um adiantamento do cartão de crédito, é completamente possível, benefício antes exclusivo somente para empresas.

Caso o microempresário individual também deseje o leasing é completamente possível, mas aí entra uma questão importante. Você se lembra que o MEI só pode ter 1 funcionário, não é? Então se ele alugar 20 máquinas, pode ser que o crédito não seja aprovado. Nesse caso seria melhor se registrar como ME e ter todos os benefícios e taxas em questão. É mais burocrático, mas é seguro para a pessoa jurídica.

A FINEP está disposta a fazer financiamentos de microempresários individuais, mas tenha em mente que é um pouco menos simples do que empresas. O MEI precisaria mostrar serviços, suas qualidades, apresentar as ideias e os produtos, além de ter algum tipo de comprovante de renda ou bens de valor aproximado. Como se não bastasse o valor tende a ser menor do que a média que empresas ganham.

Mas nada disso é tão distante do ME, ao ponto do MEI ser desvalorizado. Muito pelo contrário, pois as empresas e iniciativas governamentais estão cada vez mais valorizando o autônomo, facilitando diversos processos e não gerando burocracia em seus projetos.

Como o MEI consegue esses empréstimos?

De maneira geral ele precisa estar vinculado à algum banco e solicitar por lá mesmo. De preferência que seja em mais de um para optar pela melhor opção. Também pode entrar em contato com o BNDES para ser melhor orientado sobre as estratégias para sua situação.

Se já possuir “crédito na praça” as chances de um empréstimo maior são ainda maiores, principalmente se fizerem parte de algum nicho que seja necessário no país, como tecnologia. O tipo de serviço, em específico também é muito importante, de modo que os relacionados com a T.I possuem mais chances de aprovação, devido à alta demanda.

Só é preciso tomar cuidado para não acabar confundindo e solicitando algum crédito pessoal. Esse tipo é para pessoas físicas e são solicitados com o número do CPF. O crédito para MEI é solicitado por meio do CNPJ e possui outros tipos de taxas e outros limites de valores. Alguns empréstimos de valor mais baixo, principalmente os pessoais, podem ser feitos via online. Por isso é importante saber qual tipo de crédito estará solicitando.

O crédito para MEI é vantajoso?

Se o microempresário possuir um plano traçado de trabalho, de modo que ele consiga trabalhar e só precise do financiamento, o crédito para MEI se torna muito viável. Mas simplesmente solicitá-lo sem ter nenhum tipo de planejamento ou estrutura, além de diminuir as chances de ser aprovado, não se torna favorável, pois existem as chances de prejuízo.

Deixe seu Comentário