Tipos de negócios

Plantação de arroz: como funciona e quais as melhores práticas?

Plantação de arroz

A plantação de arroz é um negócio altamente rentável no mercado interno brasileiro, uma vez que o cereal é amplamente consumido pela população.

Além disso, seu volume de exportação, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, no ano de 2019, superou os 1,430 milhões de toneladas, o que tornou seu cultivo ainda mais lucrativo.

Rizicultura: o cultivo do cereal base da alimentação mundial

Também conhecida como rizicultura, o cultivo do arroz iniciou-se a mais de 3.000 anos no continente asiático, particularmente no Japão, apesar de historiadores apontarem a Índia como seu berço. Atualmente, a plantação do cereal pode ser encontrada em mais de 114 países ao redor do mundo.

O grão de arroz é constituído por três fragmentos: casca, germe e miolo (grão). Sua casca é composta basicamente por carboidratos, além de fibras e configura 22% do total do grão. É utilizada, principalmente, na preparação de ração animal, além de adubo e em fornalhas.

Já o germe, também chamado de farelo e que configura 8% do total do grão é altamente nutritivo. Em sua composição encontramos carboidratos, cinzas, fibras, além de gordura e proteínas.

As cinzas são ricas em vitaminas do complexo B e as fibras, auxiliam na digestão, bem como para o bom funcionamento intestinal.

Por fim, o miolo, ou seja, o grão que é o fragmento mais consumido e que configura 70% de sua totalidade.

Plantação de arroz irrigado e de sequeiro

O arroz, nome científico Oryza Sativa, pertencente à família das gramíneas, desenvolve-se amplamente principalmente em regiões com grande período de chuvas.

Assim sendo, o ideal é cultiva-lo em áreas próximas a rios, lagos e lagoas, bem como em regiões com grande volume pluvial.

Por outro lado, mesmo em regiões com alto índice pluvial, podem ocorrer períodos de secas. Assim, a irrigação mecânica, tanto quanto a manual devem ser utilizadas para suprir as necessidades do solo.

Arroz irrigado

O sistema de plantio de arroz irrigado é encontrado em mais de 70% das lavouras no país, principalmente na região do sul, em particular o Estado do Rio Grande do Sul onde seu cultivo é realizado no mês de Outubro.

Durante os meses de Novembro, Dezembro e Janeiro, a plantação de arroz necessita de uma enorme quantidade de água. Por conseguinte, as áreas cultivadas são alagadas com água proveniente de açudes, bem como retiradas com bomba d’água de rios.

Na cultura do arroz irrigado, não apenas a planta, como também o solo, em grande parte de seu ciclo ficam encobertas por uma lâmina d’água.

Ao mesmo tempo, para que a produção seja eficiente é necessário que o solo seja rico em nutrientes. Além disso, é de suma importância que o terreno seja plano, já que em áreas íngremes, tanto a produtividade, como também a colheita podem ser prejudicadas.

Arroz de sequeiro

Com relação ao sistema de plantio de arroz de sequeiro, também conhecido como “arroz de terras altas”, encontrado em mais de 20% das lavouras, é cultivado em regiões com baixo nível pluvial, particularmente no norte do país.

A princípio, em virtude de seu baixo investimento, além de tolerar uma maior acidez do solo, o sistema foi utilizado para a recuperação de áreas degradadas, assim como em rotação de culturas, principalmente a de soja.

Plantação de arroz

Sistemas utilizados para a plantação de arroz

No Brasil podemos encontrar quatro sistemas utilizados para a plantação de arroz: o sistema convencional, também conhecido como semeadura em linhas, o sistema direto ou plantio direto (SPD), o plantio direto com cultivo mínimo e por transplantio.

Sistema convencional ou semeadura em linhas

Também conhecido como semeadura em linhas e o mais aplicado no Brasil, em primeiro lugar é necessário que se faça a compactação do solo para que a germinação seja satisfatória.

Além disso, nesse sistema de cultivo de arroz irrigado utiliza-se uma semeadora-adubadora, através da qual são colocadas as sementes nos sulcos, bem como os fertilizantes, porém abaixo das sementes.

Dessa forma, ocorrerá uma maior germinação o que acarretará uma maior produtividade. Já o espaçamento mínimo entre as linhas deverá ser entre 17 a 20 cm. Além disso, o ideal por cada metro de linha é que sejam introduzidas 50 sementes.

Sistema direto ou plantio direto (SPD)

Já no sistema direto, inicialmente a semeadura é realizada no solo sem a necessidade que ele seja resolvido. Dessa forma, ele apresenta sobejos de culturas anteriores o que poderá acarretar, além de dificuldades na compactação do solo, doenças e pragas.

Agora, para o plantio, apenas são necessárias a aberturas de pequenos sulcos que deverão ser somente largos e profundos suficientemente para que as sementes entrem em contato com o solo, porém com uma cobertura razoável.

Quanto à quantidade de sementes utilizadas nas linhas de espaçamento, o ideal é que sejam introduzidas em torno de 500 por m².

Sistema de plantio direto com cultivo mínimo

No sistema de plantio direto com cultivo mínimo é realizado um pequeno preparo do solo com a finalidade de proporcionar o desenvolvimento de plantas daninhas. Além disso, é fundamental para diminuir as imperfeições do solo.

Porém, ele deve ser efetuado com alguma antecedência pré-plantio para que ocorra crescimento de uma cobertura vegetal eficaz.

Quanto à semeadura, ela deve ser efetuada diretamente no solo sem ser revolvido, bem como sobre a cobertura vegetal. Assim como no sistema de plantio direto, o ideal é que sejam introduzidas 500 sementes por m² nas linhas de espaçamento.

Sistema de tranplantio

Como o próprio nome sugere no sistema de tranplantio as sementes de arroz são plantadas primeiramente em viveiros, bem como em sementeiras e em solo muito bem preparado.

Posteriormente, assim que as mudas alcançarem o tamanho ideal para o transplante, aproximadamente 25 cm de altura são encaminhadas para sua área de plantio definitivo.

Vale ressaltar que quando as mudas atingirem 25 cm de altura estarão prontas para o transplante manual. Sua área de plantio definitivo deverá estar bem drenada para receber as mudas.

Já para o transplante mecânico, assim que atingirem 18 cm de altura já estarão aptas a serem encaminhadas para a sua área de plantio definitivo.

Esse sistema é utilizado, sobretudo, na Região Nordeste do Brasil, especialmente por pequenos agricultores.

A plantação de arroz é fundamental para combater a fome no mundo, uma vez que o cereal, além de possuir alto valor nutricional, também é rico em carboidratos que fornecem energia ao organismo.

Deixe seu Comentário