Contabilidade

Crédito para microempreendedores: como funciona?

Crédito para microempreendedores

Todos já estão acostumados com a ideia de que pessoas que abrem empresas podem solicitar um empréstimo, mas será que isso se aplica aos microempreendedores? Pois saiba que é possível, sim, solicitar o crédito para microempreendedores.

Os empréstimos para microempresas podem variar conforme o valor e as decisões dos responsáveis, porém, dependendo das condições, ele pode ser bem generoso e ter condições favoráveis para a empresa que está o está solicitando.

Os micronegócios

Os microempreendedores, ou donos de microempresas são empresários, donos de negócios que faturam, no máximo R$361.000,00 e possuem 10 funcionários. A partir do momento que algumas dessas condições são ultrapassadas, se torna um pequeno negócio, estando sujeito a outras taxas e processos.

É bastante fácil confundir com o MEI, mas existem diferenças. O microempresário individual, por exemplo, só é considerado dessa forma se receber até R$81.000,00 e ter 2 funcionários. A partir disso é considerado uma microempresa.

Certas ocasiões exigirão que o MEI se transforme em ME, de microempreendedor individual para microempreendedor, ou microempresário. Como dono de microempresa, terá acesso a créditos diferentes a partir do CNPJ.

Os créditos providos

Qualquer pessoa pode solicitar créditos em bancos variados, conforme sua renda, mas sempre a partir do seu CPF. Chamamos isso de crédito individual. Existem diversos planos e tipos de empréstimo, conforme as rendas, movimentação da conta, emprego da pessoa e, caso ela tenha pago créditos anteriores de maneira satisfatória, costuma ter seu limite expandido.

Já quando existe o cadastro como pessoa jurídica, por meio do CNPJ, o acesso a outros tipos de créditos são permitidos, sendo maiores e com taxas diferentes. Claro que empresas de pequeno porte conseguem empréstimos maiores do que microempresas, assim como microempresas conseguem empréstimos maiores do que os MEI. Quanto maior o tamanho da empresa, mais crédito ela pode ter, porém a tendência é que ela não precise, afinal já movimenta bastante capital.

As diferenças entre os tipos de crédito variam conforme os tipos de empresa, mas existem os sistemas de crédito geral. Faturas pagas em cartões de crédito por clientes podem ser adiantadas, por exemplo. Isso é um dos tipos de créditos para pessoas jurídicas.

Também existe um sistema de leasing onde a empresa pode, basicamente, alugar recursos e aproveitá-los, de modo que, após o fim do contrato, ela pode optar por continuar com o produto ou não. É excelente para quem quer economizar com recursos, ou está dando um passo muito arriscado. É melhor alugar um recurso e experimentar, para comprar depois de dar certo, do que comprar e descobrir que não funcionaram.

Crédito para microempreendedores

Créditos para ramos específicos

Existem créditos específicos para empresas do ramo agro, empreendimentos rurais e muito mais. Da mesma forma existem investimentos específicos para empresas do ramo tecnológico. Geralmente são ramos das áreas mais necessárias no país.

A intenção é que esses empreendimentos cresçam e, por isso, o governo busca dar esse incentivo. Empresas rurais de alimentação podem ter seus alimentos comprados pelo governo para alimentar escolas públicas. É um acordo lucrativo para a empresa, que a faz crescer, além de que o governo consegue descontos.

No meio tecnológico funciona da mesma forma. Basicamente existem diversos acordos para prover benefícios para empresas, tudo variando conforme o tamanho e a área de atuação.

E o dinheiro como crédito para microempreendedores?

Claro que quando se fala em crédito é normal pensar unicamente na possibilidade de depositarem alguma quantidade na conta da empresa, não é? Ou mesmo permitir a compra de algo de maneira parcelada. Bem, não está errado, mas crédito não se resume somente a isso.

Como você viu acima, existem outras maneiras de se utilizar créditos e recursos, principalmente para pessoas jurídicas. Porém, se você está se perguntando se existem possibilidades de dinheiro para microempresas, saiba que sim.

Por exemplo o BNDES possui programas em que empresta dinheiro para empresas, no valor máximo de 2 milhões por banco participante. Claro que esse valor é baseado no tamanho da empresa, portanto se microempresas só podem ter o faturamento de até 360 mil, o valor do financiamento não pode ser muito acima disso.

Sem contar que o programa conecta os bancos, então se a sua empresa solicitou um empréstimo a partir de determinado banco, se quiser solicitar por outro sem ter pago o valor, será bem mais difícil. Portanto saiba que, por mais que sejam empresas, os bancos não emprestam dinheiro e nem recursos indiscriminadamente.

É preciso falar com o banco para conseguir o crédito para microempreendedores?

É uma possibilidade, mas esses programas são geralmente propostos pelo governo e alguns bancos específicos fazem parte. Claro que, por financiarem os empresários, acabam ganhando benefícios em acordos governamentais. Não é raro encontrar notícias de que presidentes e outros políticos se encontram com donos de banco, não é mesmo?

Geralmente eles fecham acordos de modo que esses bancos possam auxiliar no desenvolvimento do país, ganhando reduções de taxas, impostos e muito mais.

A questão é que mesmo que você opte por não escolher nenhum desses programas, nada impede que o banco tenha seus próprios projetos e que sejam bem diferentes do BNDES, por exemplo. Portanto, falar diretamente com o banco pode ser uma opção mais ou menos viável, de modo que você terá que estudar a situação.

Sem contar que dentro dos próprios financiamentos padrões, existe a possibilidade de ajustar acordos e pagar menos taxas e juros do que o que é mostrado. Dessa forma, entrar em contato direto com o banco ou bancos é sempre a melhor opção para quem deseja negociar.

O crédito para microempreendedores vale a pena?

É um excelente incentivo, principalmente para empresas novas ou que estão tentando se reerguer. Por mais que com as taxas o banco acabe ganhando mais do que emprestou, no fim das contas, a empresa só conseguiu investir e lucrar graças ao dinheiro do banco.

Cabe ao micro empresário analisar se, na sua situação atual, o financiamento seria algo produtivo ou nocivo e geraria prejuízo. Não se pode esquecer que o banco não é obrigado, mesmo por programas a emprestar dinheiro para nenhuma pessoa física ou jurídica, portanto o crédito para microempreendedores pode ser negado.

Deixe seu Comentário